Como melhorar o trabalho em equipe

Director RH

O trabalho em equipe é valorizado nas empresas, por isso, é essencial saber lidar com outras pessoas. Embora se saiba que trabalhos realizados em equipe alcancem mais resultados positivos, há casos em que as relações entre os membros da equipe chegam a prejudicar  o trabalho por diferenças e incompatibilidades. Para melhorar o trabalho em grupo na sua empresa a Equipe Jobartis traz 5 dicas úteis e práticas.

1. NOVAS E VELHAS AMIZADES

Equipes que misturam velhos companheiros de trabalho com novos integrantes são os que mais rendem. Isso acontece porque, embora os funcionários que já trabalham juntos há muito tempo conheçam os hábitos de trabalho uns dos outros, eles também estão dispostos a ensinar esse método para os “novatos”. Isso faz com que a equipe se sinta integrada, melhorando o rendimento.

2. EQUIPES MISTAS

Equipes que tenham integrantes do sexo masculino e do sexo feminino funcionam melhor porque apresentam habilidades sociais mais variadas. É muito importante que o grupo esteja capacitado para resolver os mais diversos problemas, por isso é importante manter os dois sexos na equipe. Mulheres, por exemplo, são mais eficientes ao resolver problemas ligados a sentimentos e emoções, enquanto homens têm mais facilidade com problemas técnicos.

3. EQUILÍBRIO NAS INTERACÇÕES

Não se diz que uma equipe ideal é aquela que não tem desavenças. Ao contrário, discordar dos membros de sua equipe pode ser muito saudável. No entanto, isso não significa que você deva encarnar o personagem “do contra” na sua equipe. Procure manter o equilíbrio e não discordar apenas por discordar. Reveja os argumentos da discussão antes de formar uma opinião própria.

4. CONFIANÇA

Grupos de trabalho só funcionam bem se não houver desconfiança entre seus integrantes. É muito importante saber que você pode contar com os membros da sua equipe para qualquer tipo de problema. Por isso, não exija confiança sem ser uma pessoa confiável. Procure mostrar aos seus colegas de trabalho que você está disponível para ajudar em qualquer tipo de trabalho.

5. RESPEITO

O factor mais importante para determinar o sucesso de uma equipe é o respeito. Isso não significa exigir que seus companheiros aceitem as suas sugestões, e sim mostrar à eles que também está aberto a receber não só sugestões como críticas. Entenda a maneira de trabalho dos seus colegas antes de julgá-los ou criticá-los e procure entender quais são as motivações deles.

Seis passos para criar um CV profissional

shutterstock_135663092

Um CV bem escrito e estruturado é meio caminho andado para conseguir uma oportunidade de emprego, e a equipa Jobartis leva ao conhecimento geral seis passos para criar um CV profissional.

Crie um CV Profissional

Passo 1: Contacto

Esta é a fase mais simples, onde você indica os seus dados pessoais. A dica mais importante é nunca se esquecer de actualizar as suas informações de contacto, nomeadamente e-mail e telefone.

Coloque a data de nascimento e, em países como Angola, a nacionalidade.

Em relação à foto, é muito importante evitar aquelas cortadas de outras fotos ou fotos de festa. Pense que a foto é a imagem que terá de si o empregador. Portanto, coloque uma foto elegante, profissional e agradável. É melhor não colocar foto que colocar uma má foto.

Passo 2: Informação Básica

Descrever de maneira abreviada quais são as suas principais qualidades e por que o empregador deveria estar interessado em lhe contratar.  Neste ponto é importante ser muito sucinto para não aparecer como uma pessoa arrogante aos olhos do empregador.

Os passos 3 e 4 são intercambiáveis em função da importância que para você têm cada um deles. Que estiver mais orgulhoso da experiência de trabalho, deve colocar esta secção em primeiro lugar. Quem não tiver muita experiência profissional, deve colocar a formação académica acima.

Passo 3: Experiência de Trabalho

Indique a empresa, o sector da empresa, a sua função e as datas nas que trabalhou na empresa. Posteriormente, descreva a suas responsabilidades, em infinitivo.

Ao escrever as suas responsabilidades devem sempre manter a coerência com a função.

Por exemplo, se você é um Gerente de Filial minhas tarefas devem ser combinados e não poderia colocar arquivo de documentos. Da mesma maneira, se você é estagiário de uma empresa, é improvável que seja responsável da orientação estratégica da empresa.

Passo 4: Formação Académica

É aconselhável usar uma ordem cronológica inversa, começando com o seu último título adquirido, indicando sempre a data de inicio e fim. Por exemplo, coloque primeiro um título de post-grado, depois o título universitário e depois a escola. Evite incluir infinidade de títulos. Se ainda está a realizar um curso, pode indica-lo como formação em curso.

E finalmente, se você tem algum mérito académico ou uma média alta, não duvide em colocá-lo, porque isso vai destaca-lo dos outros candidatos.

Se tiver realizado cursos de curta duração relevantes para o emprego em questão, é preferível indica-los em uma secção separada: Formação Complementar

Passo 5: Informática e Idiomas

Neste ponto, é importante ser completamente honesto por uma razão simples, é muito fácil de verificar a veracidade do que está escrito, através de testes ou uma simples conversa telefónica.

Passo 6: Aptidões complementares

Utilize este espaço para indicar aspectos de interesse sobre si, como por exemplo ter empreendido um pequeno negócio, ou ter feito parte de uma equipa desportiva, etc.

Melhores cumprimentos,

A equipa Jobartis

A Diversidade e a Paciência

shutterstock_130105379

A diversidade e a paciência

Apesar de todos nós termos o mesmo equipamento refinado: o cérebro, nós não o utilizamos da mesma forma. Cada um absorve, enxerga, interpreta o mundo de uma maneira específica. Por isso, é necessário ter consciência dessas diferenças para compreender o que agrada aos nossos amigos, aos pares, aos gestores, aos liderados e à família e também o que os frustra.

Para ajudar neste processo de consciencialização, o primeiro recurso é a Empatia, pois ela nos permite ver o outro como ele realmente é, com todas as suas qualidades exclusivas, em vez de tentar transformá-lo em alguém diferente. Isso porque nós gastamos muita energia, a tentar fazer com que os outros sejam como queremos.

O segundo recurso é a Paciência. Sem ela, não podemos aprender as lições que a vida tem para nos ensinar e, consequentemente, não amadurecemos. Permanecemos, então, naquele estágio de crianças irritadas que não conseguem adiar o prazer.

Quando exercitamos a paciência, não nos deixamos ser dominados pelas nossas emoções, temos autonomia para escolher como reagir aos acontecimentos, principalmente os que geram insatisfação. A impaciência é um hábito, sendo assim, a paciência também. Não quero dizer aqui que temos de “engolir sapos” a vida inteira, mas há muitas situações nas quais nos deixamos levar pela negatividade do outro e pelo nosso ego.

A impaciência mina o que temos de bom. Já a paciência nos permite a auto percepção das qualidades e defeitos, sob todas as formas, e a percepção pelos outros do que existe de melhor em nós. Na verdade, a nossa imagem é um reflexo externo de parte do que existe internamente em nós. Esse reflexo é moldado, em especial, pelos seguintes aspectos:

– Tratamento que damos às outras pessoas.
– Conhecimento/ repertório.
– Aparência.
– Comunicação verbal e não-verbal.

Se você não sabe direito como agir para preservar bons relacionamentos, listamos abaixo alguns comportamentos um tanto óbvios, mas não tão simples de serem colocados em prática:
– Não levar tudo para o lado pessoal.
– Não fazer suposições.
– Entender que muitas das coisas que não nos agradam nos outros representam traços nossos de que não gostamos.

– Ter paciência, pois é uma atitude receptiva.

– Demonstrar interesse verdadeiro pelas pessoas.
– Identificar afinidades.
– Celebrar a diversidade.

Melhores cumprimentos,

A equipa Jobartis

Como reparar uma má impressão de um primeiro encontro

shutterstock_111165887

Certamente já ouviu a expressão “a primeira impressão é a que fica”, não é verdade? Então, reconhece que o modo como você trata uma pessoa durante o primeiro contacto pode ser determinante no que diz respeito ao rumo dos seus relacionamentos, sejam eles estritamente profissionais ou pessoais

Mas se cometer alguns deslizes numa entrevista de emprego, por exemplo, e sentir que causou uma má impressão a quem o entrevistou, será que significa que está tudo perdido? Não! Saiba que existem meios de reverter essa situação.

Veja como com os profissionais da Jobartis

1 – Identifique porque causou a má impressão
Diante de uma pessoa que acabou de conhecer, é normal que fique nervoso e que tenha algumas atitudes que não costuma ter. Caso o motivo do seu comportamento tenha sido a sua vontade de impressionar alguém, seja honesto e assuma que apenas queria causar uma boa impressão. Este passo é importante porque normalmente torna-se percetível para as pessoas que há algo estranho no seu comportamento quando tenta agir de outro modo, ainda que não se conheçam. Então, no próximo encontro, seja você mesmo.

2 – Converse
Restabelecer o diálogo é essencial nesta situação até para que tenha a real dimensão da má impressão que causou. Geralmente, as pessoas imaginam que fizeram coisas piores do que efectivamente realizaram. Por outras palavras, chame a pessoa para conversar, fale sobre a sua impressão do que aconteceu e peça-lhe a opinião. Ouvindo o que ela tem a dizer terá melhor noção de como se redimir – ou então perceberá como estava a fantasiar coisas.

3 – Tenha timing
Durante a segunda reunião, tenha atenção ao modo como a pessoa está a falar. Quando perceber que ela deu a deixa para abordarem o que aconteceu no primeiro encontro, faça-o. Caso contrário, espere que o tópico deste encontro se resolva e depois retome o incidente para pedir desculpas.

4 – Peça desculpa
É importante admitir o erro porque muitas vezes ofendemos o outro sem nos apercebermos, muitas vezes por causa de uma simples palavra mal colocada. Contudo, não insista na questão. Se a pessoa aceitou as suas desculpas, siga em frente. Relembrar constantemente um incidente será um incómodo para a outra pessoa, afinal ela recordará a ofensa e ainda assim sentir-se-á na obrigação de o tranquilizar.

5 – Seja persistente
Recuperar-se de uma situação constrangedora não acontece de um dia para o outro. Na verdade, para causar uma boa impressão após um incidente que ocorreu num primeiro contacto é necessário ter paciência e acompanhar o progresso gradual durante o encontro seguinte. Além disso, é fundamental ter um comportamento coerente com a vossa relação. Caso aja cada dia de uma maneira diferente para reconquistar a confiança da pessoa, acabará por insistir no erro descrito no item 1, ou seja, fingirá ser outra pessoa. O melhor é mesmo agir naturalmente.

Melhores cumprimentos,

A Equipa Jobartis

10 Ideias para tornar o dia de trabalho mais produtivo

shutterstock_63679543

Gostava de tirar melhor partido do seu dia de trabalho?

Numa altura em que a produtividade em Angola é um assunto recorrente devido ao momento económico que atravessamos, é importante desenvolver técnicas para que possa ser mais produtivo no trabalho. Utilizar o tempo laboral de forma eficiente é uma competência importante que todos, desde o recepcionista até ao director, devem aprender e aplicar.

Embora cada pessoa possa ter as suas próprias técnicas, A Equipa Jobartis reuniu algumas ideias que podem ajudá-lo a tornar o seu dia de trabalho mais produtivo.

  1. Estruture o dia de trabalho

Procure priorizar o seu dia de forma eficaz, um dia de trabalho produtivo começa na noite anterior.

Antes de adormecer, faça uma lista do que tem de fazer no dia seguinte: há alguma tarefa que precise de agendamento? Algum trabalho que tenha de ser feito logo pela manhã?

  1. Faça as tarefas mais difíceis de manhã

Organize o seu dia de trabalho para que consiga fazer as actividades que requerem um grau maior de atenção no início do dia. De manhã o cérebro está mais fresco e, como tal, tire vantagem do desempenho superior que pode ter ao fazer as tarefas mais difíceis pela manhã. É importante que não procrastine essas operações para o fim do dia, pois já estará mais cansado e sem energia.

  1. Limite a rotina para começar a trabalhar

Chegar, tomar café, ler o correio electrónico e passar os olhos pelas notícias dos jornais. Estes rituais não devem roubar mais do que 15 minutos por dia. A manhã é a altura mais produtiva do seu dia e uma rotina matinal prolongada retira esse factor de produtividade extra, o que pode provocar uma tarde desnecessariamente mais stressada.

  1. Faça uma pausa para ler e sociabilizar

Tendo em conta que a manhã é a melhor fase do dia para trabalhar, aproveite outras alturas para uma pausa para conviver com os colegas. Seja razoável, a pausa não deve durar a tarde toda. Outro aspecto que também deve estar calendarizado é a altura para ler.

São muitos os empregos que requerem alguma leitura diária, quer seja sobre a indústria, o mercado ou a economia, por isso deve criar um ritual que preveja alguns minutos disponíveis para ler os jornais.

  1. Saiba gerir o seu calendário de forma eficaz

Se estiver sempre a mudar de tarefa ao longo do dia sem completar nenhuma, vai dispersar-se mais e ser menos produtivo. Então, quando estiver a planear o seu dia, aloque as maiores tarefas em blocos de tempo (uma hora, hora e meia, duas horas, dependendo da natureza da tarefa) e, entre as tarefas mais difíceis, faça intervalos de 20 ou 30 minutos para tratar das questões menos exigentes. Tenha cuidado para não se sobrecarregar com trabalho e não se esqueça que é importante fazer intervalos para comer, ir à casa de banho ou apenas esticar-se. Sempre que possível não procrastine, termine as tarefas o mais cedo possível, para que se houver um assunto de última hora não tenha de fazê-lo à pressa.

  1. Use a tecnologia a seu favor

Para calendarizar a sua semana, recorra à tecnologia disponível, nomeadamente as aplicações de calendários que muitos ‘smartphones’ têm ou então, utilize o calendário do correio electrónico, como o Outlook, ou faça o seu próprio calendário no Google Calendar, conforme lhe der mais jeito. Muitas aplicações permitem que coloque cores diferentes associadas aos projectos, de forma a ser possível ver quais as tarefas que pertencem a determinado projecto. Outra forma de economizar tempo e energia é recorrer aos lembretes que os computadores, ‘tablets’ e ‘smartphones’ disponibilizam.

  1. Não trabalhe no fio da navalha

Trabalhar até ao último minuto do ‘deadline’ é tipicamente angolano e, para algumas pessoas, esse é o período mais produtivo, no entanto, acabam por não tirar melhor partido de todo o tempo que têm disponível. Para que possa aproveitar ao máximo, anote exactamente quando é que tem de entregar o projecto, divida-o por partes e defina “objectivos” para si mesmo, como por exemplo: “Tenho três dias para entregar a primeira parte do projecto”. Quando terminar uma etapa, faça uma pausa para dar uma volta ou comer qualquer coisa.

  1. Defina e cumpra um ‘deadline’

Se o seu chefe lhe pede para abraçar um novo projecto, quando ainda tem em mãos outra tarefa para fazer durante os próximos tempos, é importante não defraudar as suas expectativas. No entanto deverá avaliar todos os seus compromissos antes de se comprometer com uma data, imposta pelo seu chefe ou por si. Não abrace um projecto que vai necessitar de 10 horas quando apenas tem cinco para despender, a menos que esteja disponível para ficar a fazer horas extraordinárias ou trabalhar no fim de semana. O seu chefe irá preferir que lhe diga a verdade do que descobrir mais tarde que não tem disponibilidade para cumprir com qualidade.

  1. Como dizer não?

Aprender a dizer “não” é difícil, pois há o receio de ficar colado à imagem de preguiçoso, porém, dizer sim a tudo vai deixá-lo sobrecarregado. O melhor é encontrar um equilíbrio: Dizer “não” a coisas menos relevantes e “sim” às prioridades. Por exemplo, pode sentir-se obrigado a aceitar uma tarefa porque faz partes das suas competências e não quer causar problemas, mas se não tiver tempo, é preferível dizer que não. Acima de tudo, antes de decidir se aceita ou não, é importante avaliar a importância e urgência do pedido. Se for uma tarefa importante mas não urgente, pergunte quando é que pode ter o projecto terminado. Se o pedido for urgente, mas não for relevante para os seus objectivos, procure explicar que tem em mãos um projecto que tem toda a sua prioridade. Existem formas educadas e assertivas de transmitir a mensagem. Pode dizer “desculpe, mas não posso” ou “esta não é a minha área, outra pessoa (indicar o nome) pode ser mais útil”.

  1. Evite distrair-se com notificações

Algumas notificações que aparecem no seu ‘smartphone’ ou ‘tablet’ são essenciais, nomeadamente as que estão relacionadas com a sua agenda, porém a maior parte servem para distraí-lo. O primeiro passo para evitar o excesso de notificações é analisar todos os dispositivos e desactivar os menos importantes, como jogos, notificações de redes sociais, notícias ou novas ‘apps’ que querem chamar a sua atenção. Receber notificações a duplicar em todos os seus dispositivos pode ser um excesso, por isso, escolha onde quer receber o alerta e elimine o resto.

Melhores cumprimentos,

A equipa Jobartis

O que é um Curriculum Vitae?

shutterstock_135663092

Um CV bem escrito e estruturado é meio caminho andado para arranjar um novo emprego.

Sendo assim, a equipa Jobartis aproveita o ensejo para apresentar um conceito e significado de CV.

Curriculum vitae que significa currículo, em português, é um termo proveniente do latim, e significa trajectória de vida.

Curriculum pode ser também abreviado para CV ou apenas currículo. É um documento de tipo histórico, que relata a trajectória educacional e/ou académica e as experiências profissionais de uma pessoa, como forma de demonstrar suas habilidades e competências.

O curriculum vitae tem como objectivo fornecer o perfil da pessoa para as empresas, podendo também ser usado como instrumento de apoio em situações académicas. O curriculum é uma síntese de qualificações e aptidões, na qual o candidato a alguma vaga de emprego descreve suas experiências profissionais, formação académica, e outros dados pessoas.

O curriculum ainda é a forma que a maioria das empresas usam para seleccionar seus funcionários. Geralmente o currículo é enviado por email para as empresas ou no website de algumas é possível criar o seu próprio currículo, para permanecer no banco de dados da mesma.

Existem alguns modelos de curriculum, sendo que cada um deve fazer o que achar melhor, mas sempre contendo as informações básicas, como dados para contacto, as experiências profissionais do candidato, a sua formação académica, cursos que realizou, seja de línguas ou informática, e etc.

É muito importante fazer um curriculum sem erros ortográficos, se for necessário colocar foto, que não seja nada vulgar ou que possa prejudicar a imagem do candidato.

A Jobartis dispõe no seu site de um modelo de CV que pode ser feito o download do mesmo e ser preenchido com as informações pessoais do candidato.

Melhores cumprimentos,

A equipa Jobartis

Estratégias que ajudam na hora de pedir um aumento.

shutterstock_106328561

Quem não ambiciona ter um aumento de salário ou conheça alguém  que tenha esse desejo?

Mas do “querer” ao “acontecer” vai uma grande distância, principalmente no cenário de crise económica e financeira em que vivemos neste ano. No actual contexto torna-se mais difícil conseguir convencer o seu chefe de que merece um aumento de ordenado.

Mas o facto de ser difícil não significa que seja uma tarefa impossível.

Por esse motivo, aqui ficam cinco passos que deve ter em conta para desenhar uma estratégia bem-sucedida com vista a uma subida de rendimentos.

  1. Saiba qual é o seu valor:

Para negociar um aumento de ordenado com o seu chefe terá primeiro de saber qual é o seu próprio valor de mercado. Tente apurar quanto é que os seus colegas com as mesmas funções ganham e quais são os ordenados que estão a ser pagos por empresas concorrentes.

Só assim saberá se está a ganhar acima ou abaixo da média. Se o seu salário for inferior à média terá uma noção de qual será o aumento salarial que deverá negociar com o seu chefe. Se tem dúvidas sobre qual é o seu valor de mercado poderá consultar os estudos salariais elaborados por diversas consultoras de recursos humanos. Estes estudos permitem visualizar as remunerações que estão a ser praticadas dentro de cada área de actividade, discriminadas por função.

  1. Marque uma hora para falar com o seu chefe:

Não deve abordar o seu chefe sobre este tema numa situação casual. Ex: Ao pé da máquina do café ou quando apanham o mesmo elevador. A discussão do seu salário é um assunto sério, por isso mesmo, agende com o seu superior uma hora para conversarem sobre este tema. Desta forma, terá a garantia de que terá toda atenção do seu chefe para ouvir os seus argumentos.

  1. Saiba vender-se:

Os especialistas na área de recursos humanos aconselham as pessoas a encarnarem o papel de advogadas de si próprias. É importante que exponha de forma clara os seus argumentos. Se é vendedor, ou se o seu trabalho é traduzível em números, mostre-os e faça ver como o seu trabalho tem sido importante para o crescimento da empresa. Relembre os seus pontos fortes e os objectivos que atingiu. Se ganhou mais responsabilidades ultimamente no seu trabalho, faça-se valer também deste argumento.

  1. Evite estes argumentos:

Jamais justifique um aumento de salário por chegar sempre a horas ou por raramente faltar ao trabalho. A razão é simples: não espere que os seus superiores lhe dêem uma medalha por fazer aquilo que é a sua obrigação. Ao mesmo tempo evite usar desculpas pessoais (ex: Precisa de ganhar mais para pagar dívidas pessoais).

  1. Esteja preparado para um não:

Por muito brilhantes que sejam os seus argumentos, eles poderão não ser suficientes para conseguir o aumento de salário desejado. Aliás, num cenário de crise como o actual, é bem possível que a resposta ao seu pedido seja negativa. Mas não esmoreça. Questione o seu chefe sobre o que será preciso fazer para que no futuro a empresa lhe possa conceder um aumento salarial ou tente negociar outros mecanismos de compensação.

Situações em que não deve pedir um aumento:

  • Se a sua empresa está a despedir pessoas ou a cortar benefícios aos funcionários, isto é um sinal de que a firma onde trabalha está em sérias dificuldades financeiras. Não é o momento ideal para pedir um aumento. Aliás, se o fizer, pode até ter um efeito negativo junto do seu chefe.
  • Se está a ganhar igual ou acima da média dos seus colegas com as mesmas funções, se a sua situação salarial já é confortável e justa quando comparada com a média do mercado, então as hipóteses de ser bem-sucedido na missão de obter um aumento salarial tornam-se mais reduzidas.
  • Se não merece. Ou seja, se tem a consciência de que o seu desempenho profissional não tem sido brilhante. Se não tem sido dedicado nas suas tarefas, nem demonstra entusiasmo ao executá-las, se cumpre apenas os mínimos no seu trabalho, pense duas vezes antes falar em aumentos salariais com o seu chefe.

Melhores cumprimentos,

A equipa jobartis